Saiba um pouco mais sobre o espiritismo e filosofia lendo esta mensagem do livro “O Consolador” de Emmanuel, psicografado por Francisco Cândido Xavier:

.

.

Questão 115 – É a Filosofia a interpretação sintética de todas as atividades do espírito em evolução na Terra?

.
R) – A Filosofia constitui, de fato, a súmula das atividades evolutivas do Espírito encarnado, na Terra.Suas equações são as energias que fecundam a Ciência, espiritualizando-lhe os princípios, até que unidas umas à outra, indissoluvelmente, penetrem o átrio divino das verdades eternas.

Vida – Aprendizado

.

Questão 116 – O homem físico está sempre ligado ao seu pretérito espiritual?

.
R) – Como a maioria das criaturas humana se encontra em lutas expiatórias, podemos figurar o homem terrestre como alguém a lutar para desfazer-se do seu próprio cadáver, que é o passado culposo, de modo a ascender para a vida e para a luz que residem em Deus.
Essa imagem temo-la na semente do mundo que, para desenvolver o embrião, cheio de vitalidade e beleza, necessita do temporário estacionamento no seio lodoso da Terra, a fim de se desfazer do seu envoltório, crescendo, em seguida, para a luz do Sol e cumprindo sua missão sagrada, enfeitada de flores e frutos.
.
Questão 117 –A inteligência, julgada pelo padrão humano, será a súmula de várias
experiências do Espírito sobre a Terra?

.
-Os valores intelectivos representam a soma de muitas experiências, em várias vidas do Espírito, no plano material. Uma inteligência profunda significa umimenso acervo de lutas planetárias. Atingida essa posição, se o homem guarda consigo uma expressão idêntica de progresso espiritual, pelo sentimento, então estará apto a elevar-se a novas esferas do Infinito, para a conquista de sua perfeição.

.

Questão 118 –Como se registram as experiências do Espírito em uma encarnação, para
servirem de patrimônio evolutivo nas encarnações subseqüentes?

.
-É no próprio patrimônio íntimo que a alma registra as suas experiências, no aprendizado das lutas da vida, acerca das quais guardará sempre uma lembrança inata nos trabalhos purificadores do porvir.